20 de Janeiro de 2010

A história de Maria Benguela e Pascoal

Competências específica: Expressão Oral; Escrita.
Descritores de desempenho: Participar em actividades de expressão orientada respeitando regras e papéis específicos: ouvir os outros; esperar a sua vez; respeitar o tema. Escrever textos mediante proposta do professor.

Experiência de aprendizagem I

Os alunos observam um PowerPoint com "A história de Maria Benguela e Pascoal.

.

Experiência de aprendizagem II
Após a observação da história, os alunos, dispostos em grupos de três, encetam um debate sobre a mesma. Nesta fase, é chamada a atenção dos alunos para os quadros, onde são apresentadas algumas regras que devem ser tidas em consideração nos debates, e expressões para intervir nos mesmos.

Experiência de aprendizagem III
Após o debate, recebem uma ficha de trabalho, na qual têm de fazer o reconto da história. Concomitantemente, para auxiliar os alunos na escrita e permitir que a possam enriquecer, é também apresentado um quadro com palavras ou expressões para ligar frases ou iniciar parágrafos.
.

Alguns trabalhos:

História de Maria Benguela e Pascoal


Era uma vez a Maria Benguela que era preta como o café, como a noite escura e preta como a tinta-da-china. Depois a mãe de Pascoal mandou-o ir comprar café e ele encontro uma amiga verdadeira chamada Maria Benguela. Estavam tão entretidos que até se esqueceram de ir comprar café. Foi quando se lembrou de ir comprar café, foi a correr, mas já não foi a tempo. Mas a Maria Benguela teve uma ideia e foram a correr e o Pascoal disse à mãe:
- Como vês, não trouxe café, mas trouxe uma amiga!
A mãe do Pascoal riu-se e disse:
- Uma amiga!
A mãe do Pascoal riu-se e disse:
- Gosto muito da tua amiga nova!
E depois ficaram muito contentes. Quando Maria Benguela chegou a casa, sentiu o cheirinho de qualquer coisa e contou à mãe:
- Encontrei um amigo da cor desse açúcar que deitas no bolo.

Grupo de trabalho:
Luís
Adriana
Fátima

História de Maria Benguela e Pascoal


Era uma vez uma menina chamada Maria Benguela que era preta como o café, e como a tinta-da-china. Era uma vez um menino que se chamava Pascoal, que era branco como as chaminés pintadas outra vez. Um dia a mãe do Pascoal pediu ao filho para comprar café. A meio do caminho encontrou uma menina e o menino disse:
- Tens uma pele tão preta como o café e como a cor da tinta-da-china.
Ela respondeu que ele era branco como os dentes da Maria Benguela. Quando os meninos chegaram ao café, este já estava fechado. Os meninos decidiram brincar um bocadinho. A menina foi a casa do Pascoal e o menino disse à mãe que não trouxe o café que lhe pediu, mas trouxe a menina que era da cor do café.

Grupo de trabalho:
Ângela
Adriana
Jéssica
Marco
E agora, vamos jogar? Clica aqui (depois de entrares, clica em Modos de falar)

1 comentário:

Paula disse...

Em casa, vão ouvir de novo a "História da Maria Benguela e Pascoal" e vão recontá-la e ilustrá-la.